Ficção histórica, códigos narrativos e memória: a crítica à verdade histórica em Netto perde sua alma

  • Eliza Bachega Casadei

Resumo

O trabalho tem como objetivo estudar o filme Netto perde a sua Alma a partir do mapeamento dos dois conjuntos de códigos narrativos e estéticos que sustentam a sua narrativa – um deles vinculado a um efeito de real histórico e um outro que engendra os estados de delírio do personagem (colocando a sua narrativa em permanente suspeita) –, bem como os momentos em que essas fronteiras são transpostas. É justamente a tensão entre esses dois sistemas de códigos que constrói a especificidade da representação memorialística em Netto perde a sua alma: trata-se de um filme que, ao mesmo tempo em que se utiliza da referencialidade do discurso histórico e de seus engendramentos próprios de ilusões de real, nega o seu estatuto a partir do engendramento de um outro sistema de códigos socialmente compartilhados que problematiza os aspectos ligados às representações fílmicas do passado.

Publicado
08-03-2016
Seção
ARTIGOS