As modalidades da nostalgia

  • Michael Pickering
  • Emily Keightley
  • Tradução de Mozahir Salomão Bruck
  • Carolina Lopes Marques

Resumo

A nostalgia tem sido vista como o oposto conceitual do progresso, contra o qual é vista negativamente como reacionária, sentimental ou melancólica. Foi visto como um recuo derrotista do presente e evidência de perda de fé no futuro. A nostalgia é certamente uma resposta à experiência de perda endêmica na modernidade e na modernidade tardia, mas os autores argumentam que ela tem inúmeras manifestações e não pode ser reduzida a uma definição singular ou absoluta. Isso quer dizer que seus significados são múltiplos e, portanto, devem ser vistos como a acomodação de impulsos progressivos e até utópicos, bem como posturas regressivas e atitudes melancólicas. Suas contradições podem ser evidentes nas formas vernacular e midiática de lembrança e reconstrução histórica. Os autores argumentam que tais contradições devem ser vistas como mutuamente constitutivas, pois é nas suas inter-relações que surge o potencial para a crítica sociológica.

Publicado
20-07-2020
Seção
TRADUÇÃO