A comunicação no Sistema Único de Saúde 10 anos depois

um estudo comparativo entre 2009 e 2019

Resumo

Um estudo publicado em 2009 pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) mostrou que a comunicação promovida por instituições pertencentes ao Sistema Único de Saúde (SUS) possui falhas e, por isso, deixa de ser estratégica, eficaz e eficiente. Passada uma década, uma pesquisa aplicada de mestrado teve como objetivo realizar um estudo de caso da Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo (São Paulo, Brasil). A proposta deste artigo, portanto, é apresentar os resultados inéditos da dissertação, comparando-os com a pesquisa nacional anterior. É possível apontar entre os destaques a evolução dos produtos de comunicação – da predominância dos materiais impressos aos online –, a comprovação ou a retificação de tendências apontadas pelo estudo da Fiocruz e ainda a manutenção de determinadas ações, atividades ou decisões que eram realizadas pelas assessorias de comunicação e que nada ou pouco mudaram dez anos depois.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
13-09-2021
Seção
Dossiê: Comunicação, política e saúde