Nem Sola Scriptura, nem Solus Spiritus: a revelação na dimensão do humano

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Abdruschin Schaeffer Rocha

Resumo

O presente artigo se propõe discutir a revelação na dimensão do humano. Nesse sentido, parte do pressuposto de que tanto no protestantismo histórico quanto no pentecostalismo tal dimensão, e as contingências que daí derivam, não foram devidamente consideradas, na medida em que ambas as tradições recorrem a uma suposta “garantia da pureza” da revelação. No protestantismo, tal garantia fora buscada nas Escrituras, na medida em que ao evocar a autoridade das Escrituras, os reformadores acreditavam poder garantir a integridade da revelação, dentro de um suposto “ambiente higienizado”; no pentecostalismo, essa suposta segurança fora afiançada pelo Espírito, afinal, alimenta-se da forte expectativa de um encontro pessoal com Deus, que em sua imediaticidade supostamente garantiria a pureza da revelação. Assumindo as limitações e subjetividade humanas inerentes ao processo de recepção da revelação, propõe-se, portanto, uma revelação que se dê nos limites da história; uma revelação que se dê nos limites da linguagem; e uma revelação que se dê nos limites da vulnerabilidade humana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
ROCHA, A. S. Nem Sola Scriptura, nem Solus Spiritus: a revelação na dimensão do humano. HORIZONTE - Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião, v. 14, n. 44, p. 1173-1192, 29 dez. 2016.
Seção
Artigos/Articles: Dossiê/Dossier
Biografia do Autor

Abdruschin Schaeffer Rocha, Faculdade Unida de Vitória - ES

Graduado em Teologia pelo Seminário Teológico Batista do Brasil e em filosofia pela Universidade Federal do Espírito Santo; mestre em Teologia pela Faculdades EST; doutor em Teologia pela PUC-Rio. Também é professor do curso de Bacharelado em Teologia e do programa de Pós-Graduação (Mestrado Profissional) em Ciências das Religiões da Faculdade Unida de Vitória (Vitória/ES).