Presídias dos terceiros do Carmo de Vila Rica: territorialidade e rede confraternal em Minas Gerais, 1744-1848

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Francisco Eduardo de Andrade

Resumo

A pesquisa trata da configuração institucional da Ordem Terceira do Carmo da capital político-administrativa do território minerário, Vila Rica ou Ouro Preto, através das suas filiais, as presídias (presidências locais), cuja disseminação ultrapassou os limites da capitania/província de Minas Gerais, no interior brasileiro. As presídias forneceram à sede-matriz da Ordem Terceira rendimentos acrescidos (pagamentos, doações, concessões) que não eram acessíveis às irmandades reduzidas a uma jurisdição paroquial. As filiais da Ordem foram os dispositivos fundamentais de integração local dos associados (agentes do comércio ou emigrados) e da instituição da fraternidade, com papel destacado nas alianças de amizade e de parentesco. Essa associação religiosa de abrangência territorial, justaposta à teia de freguesias das Minas (matrizes e capelas), conformou uma elite político-econômica e as identidades dos agentes de poder (brancos, senhores, autoridades políticas, militares), contribuindo para forjar noções de pertencimento comunitário e de reconhecimento de grupo (conforme o estamento). Através da difusão das presídias, ademais, pode-se apreender o mercado dos bens simbólicos relacionados às práticas devocionais carmelitanas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
ANDRADE, F. E. DE. Presídias dos terceiros do Carmo de Vila Rica: territorialidade e rede confraternal em Minas Gerais, 1744-1848. HORIZONTE - Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião, v. 17, n. 53, p. 1170, 31 ago. 2019.
Seção
Artigos/Articles: Temática Livre/Free subject
Biografia do Autor

Francisco Eduardo de Andrade, Universidade Federal de Ouro Preto

Professor do departamento de História e do Programa de Pós-graduação em História, Universidade Federal de Ouro Preto.

Áreas de atuação: história das instituições político-jurídicas da América portuguesa; história das instituições religiosas da América portuguesa (confrarias religiosas e rede paroquial); história urbana.