A vulnerabilidade como condição antropológica segundo o motivo “Escada da vida” em uma xilogravura do século 19

Main Article Content

Helmut Renders
Elizabete Cristina Costa-Renders

Resumo

Este artigo se dedica ao aparecimento do tema da vulnerabilidade, a partir do século 18, em xilogravuras cuja narrativa visual se refere ao processo de envelhecimento das pessoas em analogia com o motivo da escada ou dos degraus da vida. A ausência da consideração da deficiência como um possível atravessamento do ciclo da vida disparou o problema investigativo: Como se dá o aparecimento do tema da vulnerabilidade em xilogravuras cuja narrativa visual se refere ao motivo da escada ou dos degraus da vida, acompanhada por uma narrativa religiosa? Apresenta os resultados de uma pesquisa documental exploratória, realizada nos acervos do Museu da Imagem na cidade de Epinal, França, do Museu das Culturas, na cidade de Basileia, Suíça e da Igreja Estadual de Estugarda, Alemanha, no mês de julho de 2017. Argumenta, como primeiro resultado, comparando as narrativas visuais educacionais e religiosas, que há uma modificação da narrativa visual do motivo da escada da vida e que seu aparecimento antecipa, na área da educação, mas não na área da teologia, a consideração do respeito à vulnerabilidade como condição antropológica. Como segundo resultado, mostra-se a importância da cultura visual como narrativa própria e fonte essencial para as ciências humanas, em especial, para educação e as ciências da religião, neste caso a ressignificação da vulnerabilidade humana no campo da educação inclusiva que exige um novo olhar para a condição humana.

Article Details

Como Citar
RENDERS, H.; COSTA-RENDERS, E. C. A vulnerabilidade como condição antropológica segundo o motivo “Escada da vida” em uma xilogravura do século 19. HORIZONTE - Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião, v. 18, n. 55, p. 197, 30 abr. 2020.
Seção
Artigos/Articles: Dossiê/Dossier
Biografia do Autor

Helmut Renders, Universidade Metodista de São Paulo; Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião e da Faculdade de Teologia

Graduação em teologia - Theologisches Seminar der Evangelisch-methodistischen Kirche in Deutschland (RFA, 1987 / convalidado pela Universidade Metodista de São Paulo [Umesp] em 2001) e curso de hebraico - Kirchliche Hochschule Wuppertal (RFA, 1984). Doctor of Ministry - Wesley Seminary Washington, DC (EUA, 1998). Lato Sensu em Ciências da Religião - Umesp (BRA, 2003). Iniciou em 2003 um mestrado em Ciências da Religião (Umesp, BRA), na qualificação transformado em doutorado direto (2004), Doutorado em Ciências da Religião - Umesp (BRA, 2006). Pós-doutorado em Ciência da Religião - Universidade Federal de Juiz de Fora [UFJF] (BRA, 2012). É professor associado da Universidade Metodista de São Paulo, do Programa da Pós-graduação em Ciências da Religão e da Faculudade de Teologia (Graduação), coordenador da Editeo (Editora da FaTeo / Umesp), editor da revista científica Caminhando (impressa e on-line; FaTeo / Umesp, Qualis B2) e secretário do Centro de Estudos Wesleyanos (FaTeo / Umesp). Na Universidade é integrante da Comissão de Ética e da Comissão de Publicações. Tem experiência na área da Teologia e Ciências de Religião e concentra sua pesquisa nas linguagens da religião e suas expressões simbólicas, narrativas, rituais, doutrinais e éticas.

Projeto FAPESP Regular: 2017-2019

Lattes: http://lattes.cnpq.br/9348720483251408

Repositório digital de textos: https://metodista.academia.edu/HelmutRenders

Elizabete Cristina Costa-Renders, Universidade Municipal de São Caetano do Sul [USCS]Programa de Pós-Graduação em Educação

ós Doutora (2015) e Doutora em Educação (2012) na área de Ensino e Práticas Culturais pela UNICAMP, com tese desenvolvida sobre a educação inclusiva. Trabalha com a formação de professores: no Programa de Pós-Graduação em Educação (mestrado profissional em Educação) da Universidade Municipal de São Caetano do Sul (2017-atual) e no Programa Institucional de Licenciaturas da Escola de Comunicação, Educação e Humanidades da UMESP (2005-atual). Consultora na área de inclusão das pessoas com deficiência. É líder do grupo de pesquisa ACESSI (Acessibilidade escolar e inclusão social). Em suas pesquisas, destacam-se temas como: educação especial, educação inclusiva, universal design for learning, formação de professores para o atendimento educacional especializado na escola regular, Libras, direitos humanos e epistemologias emergentes.

Referências

ADAM, Júlio César. Pregando vulnerabilidade: a teologia da libertação, a ética do cuidado e a pregação no contexto brasileiro e latino-americano. Estudos Teológicos, São Leopoldo, v. 54, n. 2, p. 350-362, jul./dez. 2014.
AMARAL, Lígia Assumpção. Conhecendo a deficiência (em companhia de Hércules). São Paulo: Robe Editorial, 1995.
ARENDT, Hanna. Entre o passado e o futuro. São Paulo: Perspectiva, 2009.
ARISTÓTELES. Política. Rio de Janeiro: Hemus, 1966.
ASSMANN, Hugo; SUNG, Jung Mo. Competência e sensibilidade solidária: educar para a esperança. Petrópolis: Vozes, 2000.
BACH, Ulrich. Ohne die Schwächsten ist die Kirche nicht ganz. Bausteine einer Theologie nach Hadamar, Neukirchen-Vluyn 2006. [Tradução do título principal: Sem os mais frágeis, a igreja não é integral: elementos de uma teologia depois de Hadamar ].
BACH, Ulrich: Dem Traum entsagen, mehr als ein Mensch zu sein. Auf dem Wege zu einer diakonischen Kirche, Neukirchen-Vluyn, 1986. [Tradução do título principal: Desistir do sonho, ser mais do que um ser humano: no caminho para ser uma igreja de diaconia].
BACH, Ulrich: Kraft in leeren Händen. Die Bibel als Kursbuch, Freiburg-Basel-Wien 1983. [Tradução do título: Força em mãos vazias: a bíblia como livro-guia].
BACH, Ulrich: Volmarsteiner Rasiertexte. Notizen eines Rollstuhl-Fahrers, Gladbeck/Westfalen [1979]. [Tradução do título: Textos para pensar direto de Vollmar: Notícias de um cadeirante].
BACH, Ulrich: Wie lange noch wollen wir fliehen? Einspruch gegen die unheilvolle These vom Heilungs-Auftrag. Diakonie, v. 19, p. 390-397, 1993. [Tradução do título do artigo: Quanto tempo queremos ainda fugir? Proteste contra a tese desastrosa da “vocação de curar”].
BIELER, Andrea. Verletzliches Leben: Horizonte einer Theologie der Seelsorge. Göttingen: Vandenhoeck & Ruprecht, 2017. [Tradução do título principal: Vida vulnerável: horizontes de uma teologia pastoral].
BISOL, Claudia; PEGORINI, Nicole; VALENTINI, Carla. Pensar a deficiência a partir dos modelos médico, social e pós-social. Cadernos de Pesquisa, São Luís, v. 24, n. 1, jan./abr. 2017.
BOESAK, Allan Aubrey. Dare we speak of hope? Searching for a language of life in faith and politics. Grand Rapids: Eerdmans, 2014.
BUNTON, John. Meditations on the several ages of man´s life, representing, the vanity of it, from his cradle to his grave. Adorned with proper Emblems to which is added scriptural poems. Londres: impresso por F. Blare, 1701.
BURROW, John Anthony. The ages of man: A study in medieval writing and thought. Oxford: Clarendon, and New York: Oxford University Press, 1986.
CMI. Uma igreja de todos e para todos: uma declaração teológica provisória. CMI. São Paulo: ASTE, 2005.
CULP, Kristine A. Vulnerability and glory: a theological account. Louisville, KY: Westminster John Knox Press, 2010.
DENTZ, Rene, FERREIRA, Vicente de Paula. Corpo e vulnerabilidade: caminhos da teologia pós-moderna. Interações, v. 12, n. 1, p. 45-59, jan./jun. 2017.
DOVE, Mary, The perfect age of man's life. Cambridge: Cambridge University Press, 1986.
EHMER, Josef. Lebenstreppe. In: Enzyklopädie der Neuzeit, vol. 9. Stuttgart: J.B. Metzler'sche Verlagsbuchhandlung und Carl Ernst Poeschel Verlag, 2009. col. 50–55. [Tradução do título: Escada da vida]
EHMER, Josef. Lebenslauf [in historischer Persepktive]. In: Enzyklopädie der Neuzeit, vol. 7 [Konzert- até Männlichkeit], Stuttgart: J.B. Metzler'sche Verlagsbuchhandlung und Carl Ernst Poeschel Verlag, 2008. col. 677-699. [Tradução do título do artigo: O caminho da vida em perspectiva histórica].
GANDOLFO, Elizabeth O'Donnell. The power and vulnerability of love: a theological anthropology. Minneapolis, MN: Fortress, 2015.
GIRARD, René. A violência e o sagrado. São Paulo: Paz e Terra, 1990.
GNILKA, Christian. Aetas spiritalis: die Überwindung der natürlichen Altersstufen als Ideal frühchristlichen Lebens. Cologne e Bonn: Peter Hanstein Verlag, 1972. [Coletânea Theophaneia - Beiträge zur Religions- und Kirchengeschichte des Altertums, vol. 24]. [Tradução do título: Idades espirituais: da superação das idades naturais como ideal da vida no início do cristianismo].
HABER, Carole; JOHNSON, Paul; THANE, Pat (ed.). Old age from antiquity to post-modernity. New York: Routledge, 1998.

HUBERT, Henri; MAUSS, Marcel. Essai sur la nature et la fonction du sacrifice. Paris: PUF: Quadrige, 2016. [Tradução do título: Ensaios sobre a natureza e a função do sacrífico].
HUBERT, Henri; MAUSS, Marcel. Sacrifice: its nature and functions. Edição reimpressa e revisada. Chicago: University of Chicago Press, 1964.
METZLER, Irina. A social history of disability in the middle ages: cultural considerations of physical impairment. New York: Routledge, 2013. [Coletânia: Routledge Studies in Cultural History].
MINOIS, Georges. History of old age: from Antiquity to the Renaissance. Tradução de Sarah Hanbury Tenison. Chicago: University of Chicago Press, 1989.
MOLTMANN, Jürgen. Diaconia en el horizonte del Reino de Dios: hacia el diaconado de todos los creyentes. Tradução de Constantino Ruiz Garrido. Guevara: Sal Terrae, 1987.
MORIN, Edgar. O método V: a humanidade da humanidade – a identidade humana, Tradução de Juremir Machado da Silva. Porto Alegre: Sulina, 2003.
OLIVEIRA, Ivanilde Apoluceno. Saberes, imaginários e representações na educação especial: a problemática ética da ‘diferença’ e da exclusão social. Petrópolis: Vozes, 2004.
PLATÃO. La República, o de la justicia. In: Obras completas. Madrid: Aguilar, 1972. p. 655-844.
RAMINELLI, Ronald. Eva Tupinambá. In: PRIORE, Mary del (org.). História de mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2011. p. 11-43.
RITSCHL, Benjamin Albrecht. Die christliche Lehre von der Rechtfertigung und Versöhnung: Die Geschichte der Lehre. Bonn: Editora Marcus, 1900. v. 1. [Tradução do título principal: O ensino cristão da justificação e redenção: a história da doutrina].
RITSCHL, Benjamin Albrecht. Die Entstehung der altkatholischen Kirche. Bonn: Adolph Marcus, 1850. [Tradução do título principal: O surgimento da Igreja Católica Antiga].
SÁ, Nídia. Cultura, poder e educação de surdos. Manaus: Editora da Universidade Federal de Manaus, 2002.
SCHOFER, Jonathan Wyn. Confronting vulnerability: the body and the Divine in Rabbinic Ethics. Chicago: University of Chicago Press, 2010.
SCHÖNE, Anja. Lebenszeiten des Menschen. In: BREDNISCH, Rolf Wilhelm (ed.). Enzyklopedia der Märchen: Handwörterbuch zur historischen und vergleichenden Erzählforschung. Berlin e New York: Walter de Gruyter, 1996. vol 8 [Klerus - Maggio], p. 882-846. [Tradução do título do verbete: Tempos de vida do ser humano].

SKLIAR, Carlos. (org.) Educação e exclusão: abordagens sócio-antropológicas em educação especial. Porto alegre: Mediação, 1997. (Cadernos de autoria).
SÖLLE, Dorothee. Sofrimento. Tradução de Antonio Estevao Allgayer. Petrópolis, RJ: Vozes, 1996.
STALSETT, Sturla. Vulnerabilidad, dignidad y justicia: valores éticos fundamentales en un mundo globalizado. Revista Venezolana de Gerencia, Maracaibo, Zula, Venezuela, v. 9, n. 25, p. 1-15, jan. 2019. Disponível em: http://dx.doi.org/10.37960/revista.v9i25.9723. Acesso em: 10 de nov. 2019.
THIISSEN, Jo; OVERDICK, Michael. Die Lebenstreppe und ihre Verwandten. In: VANJA, Konrad et al. (ed.). Arbeitskreis Bild Druck Papier: Tagungsband Berlin 2012. Münster: Waxmann, 2013. p. 41–66. [Tradução do título do capítulo: A escada da vida e seus motivos semelhantes].
TROYANSKY, David G. Balancing social and cultural approaches to the history of old age and aging in Europe: a review and an example form post-revolutionary France. In: JOHNSON, Paul; THANE, Pat. Old age from Antiquity to Post-Modernity. London: Routledge, 1998. p. 96-109.