O budismo como una espiritualidade não religiosa

Marta Granés Bayona

Resumo


O Budismo propõe acessar uma visão da realidade separada de crenças e suposições de todos os tipos. Para conseguir isso propõe uma livre investigação sobre o confinamento do nosso pensar e sentir que se submetem ao ego.  O ego com suas necessidades e desejos propicia um acesso à realidade em nós mesmos. O que se propõe é uma libertação desta leitura para que a realidade possa aparecer diante de nós mesmos de forma independente das imposições do ego, quer dizer, um acesso absoluto a ela. O Budismo é, portanto, uma proposta de "espiritualidade não religiosa", para o qual o mesmo termo seria inadequado, porque está na base da crença no "espírito". Vemos que por tudo isso a mensagem budista é muito apropriada para as sociedades atuais e também para aquelas que estão transitando de uma sociedade agrícola para a industrial, o que leva ao enfraquecimento das convicções religiosas chegando a dissolvê-las;  bem como para aquelas que estão próximas ou já ingressaram nas  sociedades do conhecimento, inovação e mudança contínua cuja condição de mobilidade  impede as crenças porque elas são fixistas, tendo como consequência a impossibilidade de ter religião ou espiritualidade.


Palavras-chave


budismo; espiritualidade não-religiosa; ateísmo; não-egocêntrico; iluminação.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5752/P.2175-5841.2014v12n35p975

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Esta obra está licenciada sob uma Attribuiton 4.0 Internacional:  
Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0)

 

Redes Sociais:

 

 

Filiada: Apoio:

Logotipo do IBICT

 

 

 

Indexadores e Repositórios/Banco de dados:


Latindex Sumários de Revistas   Brasileiras



 

Presença em algumas bibliotecas no exterior: