Acessibilidade e pessoas com deficiência:

Análise da cobertura do portal G1

Palavras-chave: pessoas com deficiência, acessibilidade, cobertura jornalística, análise, G1

Resumo

O artigo objetiva a análise da cobertura jornalística sobre pessoas com deficiência e acessibilidade no portal G1. As reflexões teóricas são centradas em pesquisas que criticam as lacunas em relação à acessibilidade, às problemáticas que envolvem a temática e às abordagens jornalísticas – que reproduzem estigmas e preconceitos. A análise é feita por movimentos metodológicos protocolares na coleta de dados e definição do corpus e no uso do software IraMuTeQ para a geração de árvores de palavras, gráficos de árvore máxima de similitude e classificação hierárquica descendente. Apontamos que a cobertura jornalística se restringe a cinco categorias temáticas, que priorizam notícias de serviço (vagas de emprego, divulgação de eventos, pautas sociais, legislação e problemáticas da falta de acessibilidade arquitetônica). Assim, compreendemos que a cobertura jornalística sobre a temática é insuficiente e restrita.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Samara Wobeto, UFSM/Mestrado

Jornalista e mestranda em Comunicação pelo Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade Federal de Santa Maria (POSCOM/UFSM), bolsista Capes, integrante do Grupo de Pesquisa Circulação Midiática e Estratégias Comunicacionais (Cimid/UFSM), samara.wobeto@acad.ufsm.br, http://lattes.cnpq.br/3876798863403545.

Viviane Borelli, UFSM/Docente

Docente do Programa de Pós-graduação em Comunicação e do Departamento de Comunicação da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), líder do Grupo de Pesquisa Circulação Midiática e Estratégias Comunicacionais (Cimid/UFSM), doutora em Ciências da Comunicação pela Unisinos, viviane.borelli@ufsm.br, http://lattes.cnpq.br/0710124685911526.

Luan M. Romero, UFSM/Doutorado

Jornalista, mestre em Comunicação e doutorando em Comunicação pelo Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade Federal de Santa Maria (POSCOM/UFSM), integrante do Grupo de Pesquisa Circulação Midiática e Estratégias Comunicacionais (Cimid/UFSM), luan.romero@acad.ufsm.br, http://lattes.cnpq.br/9610460160161258.

Referências

BENETTI, Márcia. Revista e jornalismo: conceitos e particularidades. Porto Alegre: Penso, 2013.

BERALDO, Carla Tonetto. “Quem cabe no seu todos?” Jornalismo e Deficiência Visual: um estudo sobre a acessibilidade e usabilidade em notícias em redes digitais. 2021. 183f. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Cultura Contemporâneas) – Faculdade de Comunicação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2021.

BONITO, Marco. Processos da comunicação digital deficiente e invisível: Mediações, usos e apropriações dos conteúdos digitais pelas pessoas com deficiência visual no Brasil. 2015. 351f. Tese (Doutorado em Comunicação Social) – Programa de Pós-graduação em Ciências da Comunicação, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo (RS), 2015.

BRAGA, José Luiz. Comunicação, disciplina indiciária. MATRIZes, São Paulo, v. 1, n. 2, p. 73-88, 2008.

BRANDES, Ulrik. A faster algorithm for betweenness centrality. The Journal of Mathematical Sociology, v. 25, n. 2, p. 163-177, 2001.

BRASIL. Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. Brasil: 2015.

CAMPANHÃ, Marcela Ribas. Audiodescrição e cidadania. Processos comunicacionais de sujeitos cegos vinculados aos usos e apropriações da rede social WhatsApp. 2020. 170f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação) – Centro de Ciências da Comunicação, Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), São Leopoldo (RS), 2020.

DEGENNE, Alain; VERGÈS, Pierre. Introduction à l’analyse de similitude. Revue Française de Sociologie, v. 14, n. 4, p. 471-512, out./dez. 1973.

FREITAS, Thais Araújo de. Representações sociais de pessoas com deficiência em notícias do portal G1. 2021. 419p. Dissertação (Mestrado em Jornalismo) – Centro de Comunicação e Expressão, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2021.

FRIGO, Diossana; ROMERO, Luan Moraes; BORELLI, Viviane. #EleNão e eleições brasileiras de 2018: a circulação de sentidos em grupos de mulheres no Facebook. Chasqui – Revista Latinoamericana de Comunicación, Equador, n. 148, p. 89-106, dez. 2021.

INTERVOZES; REPÓRTERES SEM FRONTEIRAS. Monitor de Propriedade de Mídia no Brasil. São Paulo: Intervozes, 2019.

KUPPERS, Petra. Disability and contemporary performance: bodies on edge. Cornwall: TJ International, 2004.

MARCO, Victor di. Capacitismo: o mito da capacidade. Belo Horizonte: Letramento, 2020.

NEWMAN, Mark; GIRVAN, Michelle. Finding and evaluating community structure in networks. American Physical Society, v. 69, n. 2, p. 1-16, fev. 2004.

PIOVESAN, Flávia. Convenção da ONU sobre os direitos das pessoas com deficiência: inovações, alcance e impacto. In: FERRAZ, Carolina Valença; LEITE, George Salomão; LEITE, Glauber Salomão; LEITE, Glauco Salomão (Orgs.). Manual dos Direitos da Pessoa com Deficiência. São Paulo: Editora Saraiva, 2012. p. 42-64.

ROMERO, Luan; BORELLI, Viviane. Articulação entre métricas e dados textuais como experimentação metodológica para estudos em circulação. São Paulo: Compós, 2021.

SALVIATI, Maria Elisabeth. Manual do Aplicativo Iramuteq. Planaltina: [s. e.], 2017.

SASSAKI, Romeu Kazumi. Inclusão: acessibilidade no lazer, trabalho e educação. Reação – Revista Nacional de Reabilitação, São Paulo, ano 12, p. 10-16, mar./abr. 2009.

SEGATTO, Karine Arminda de Fátima. Acessibilidade e multimidialidade no webjornalismo da América do Sul. 2015. 168f. Dissertação (Mestrado em Jornalismo) – Programa de Pós-graduação em Jornalismo, Setor de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa, 2015.

SOUZA, Joana Belarmino de. Aspectos Comunicativos da Percepção Tátil: A escrita em Relevo como Mecanismo Semiótico da Cultura. 2004. Tese (Doutorado em Comunicação Semiótica) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2004.

VENDRAMIN, Carla. Repensando mitos contemporâneos: o capacitismo. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL REPENSANDO MITOS CONTEMPOR NEOS, 3., Campinas, 2019.

TRAQUINA, Nelson. Teorias do Jornalismo: Volume II. A tribo jornalística – uma comunidade interpretativa transnacional. Florianópolis: Insular, 2013.

WOBETO, Samara. A construção de indicadores de qualidade para a acessibilidade comunicacional em veículos jornalísticos. 2023. 163f. Monografia (Graduação em Comunicação Social – Jornalismo) – Centro de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2023.

WOBETO, Samara Letícia; ROMERO, Luan; BORELLI, Viviane. Análise quantitativa da cobertura jornalística sobre Acessibilidade e Pessoas com Deficiência. In: CONGRESSO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 44., Pernambuco. 2021. Anais [...]. Pernambuco: Intercom, 2021. p. 1-15.

WOBETO, Samara Letícia; BORELLI, Viviane. Construção jornalística da pessoa com deficiência e a ênfase na superação. In: ENCONTRO NACIONAL DE JOVENS PESQUISADORES EM JORNALISMO, 10., nov. 2020. Anais [...]. Brasília: SBPJor, 2020.

Publicado
18-12-2023